Site icon Marketing por Dados

Como aplicar a inteligência competitiva na sua empresa?

Inteligência competitiva

A grama do vizinho é mais verde? Pode ser, mas você só terá certeza disso se fizer uma investigação segura, coletando e analisando dados que podem impactar diretamente na sua tomada de decisão sobre determinada ação. Estamos falando de ferramentas de inteligência competitiva (IC).

Então, quer dizer que é inteligente identificar e avaliar as estratégias dos concorrentes para antecipar ações assertivas? Sim, muito.

Essa análise dará a você a capacidade de aumentar a competitividade da sua empresa por meio da análise confiável sobre seu negócio, mercado e concorrência.

E para que isso seja efetivo, é fundamental manter as fontes de dados estrategicamente estruturadas.

Quer entender mais sobre a inteligência competitiva? Continue lendo este post e veja como ela pode ser aplicada no dia a dia da sua empresa.

Inteligência competitiva: o que é e para que serve?

Conhecer o seu negócio dá a você uma visão apurada sobre interpretação de dados e a melhor forma de utilizar as tecnologias disponíveis para a efetividade dessas análises, certo? Então, é certo dizer que isso funciona para todas as áreas da organização, incluindo os setores específicos do marketing.

Pela observação de diversos fatores, como concorrentes, clientes e cenário de atuação, é possível prever tendências, antecipar movimentos e adaptar-se às necessidades do mercado, de maneira planejada.

É a inteligência competitiva de mercado, responsável por fazer a sua empresa alcançar os resultados almejados e ampliar ou consolidar o seu negócio.

O objetivo da inteligência competitiva é, então, criar um planejamento estratégico de médio ou longo prazo que guie as diversas operações. E aqui, faz muito sentido observar o mercado para não cometer os mesmos erros dos concorrentes.

A inteligência competitiva, ou inteligência empresarial, pode ser associada à sinergia entre a tecnologia e a capacidade humana. Se a primeira oferece meios precisos para a análise de dados, a segunda refere-se à experiência humana para interpretar essas informações e tomar as melhores decisões.

É quando há mais estratégia do que operação, agindo de modo preciso para otimizar tempo e economizar recursos.

A questão é que esses dados estão aumentando consideravelmente e a tendência é que continuem a crescer, de acordo com o Relatório anual da Cisco sobre a Internet (2018–2023) White Paper.

Por isso, a mudança para um posicionamento analítico pode ser gradativa, já que ainda existem muitas dúvidas sobre como as empresas podem se basear em dados para tomadas de decisões assertivas.

Por que a inteligência competitiva é importante para o negócio?

No geral, as empresas tendem a tomar decisões reativas. Muitas vezes, são tomadas com atraso, baseadas em erros já cometidos.

A inteligência competitiva (especialmente a inteligência competitiva na internet) permite que as decisões sejam mais proativas e menos reativas, antecipando movimentos para identificar o melhor caminho antes mesmo do problema aparecer.

Além do aumento da produtividade e competitividade, com a IC é possível disponibilizar produtos e soluções mais adequadas para seu público.

Quanto mais precisa a análise de mercado for, melhores os insights e mais certeiras serão suas decisões.

Inteligência competitiva e inteligência artificial: como elas se completam?

O uso da inteligência artificial para aumentar a vantagem competitiva permite que as empresas melhorem sua eficiência pelo uso dos dados.

Nas grandes corporações já é possível perceber uma mudança natural e o forte investimento nos setores de IA, propondo o aumento da produtividade para intimidar a concorrência.

Gigantes como a Ford Motors e a Bosch, por exemplo, tratam a inteligência artificial como uma de suas prioridades. E essa presença está se tornando tão comum em nosso meio. Você, provavelmente, já interagiu com uma IA pensando estar interagindo com um humano.

No marketing, o uso de IA se torna inteligência competitiva quando plataformas de mídia processam dados de comportamento e entregam anúncios certeiros aos consumidores interessados.

As previsões feitas pela IA ocorrem a partir de um treinamento, pois ela não nasce inteligente. É essa integração de competências entre máquina e homem que garante resultados consistentes e até extraordinários. O uso da IA no marketing consegue melhorar significativamente a experiência do usuário.

Sistemas de inteligência

A tecnologia está a serviço do homem e das empresas, oferecendo benefícios que permeiam redução de custos, otimização de tempo e, principalmente, a exatidão nos dados coletados. Isso você já sabe, certo?

Existem ferramentas distintas para análises quantitativas, como páginas mais acessadas ou quantidade de visitas, por exemplo, e para as qualitativas, que analisam o comportamento humano no ambiente digital.

Apesar disso, dados qualitativos podem ser transformados em quantitativos para tornar palpável o que essas informações querem de fato nos mostrar.

Basicamente, esses sistemas se dão por meio da coleta, análise e validação de dados sobre clientes, fornecedores ou outros públicos de interesse da empresa para transformá-los em conhecimento estratégico, entendeu?

Veja como funciona:

Identificação das necessidades

Inicialmente, é preciso identificar os objetivos da empresa com a utilização da inteligência competitiva. Identificar as necessidades de maneira clara será fundamental para o restante do processo.

Fonte de informações

Nesta etapa, cria-se a base de conhecimento, ou seja, qual fonte servirá como base para a coleta dos dados a serem analisados.

Coleta dos dados

A coleta dos dados é a terceira etapa do processo. Todas as informações relevantes devem ser coletadas em atendimento às necessidades da empresa (previamente identificadas na etapa 1).

Análise de dados

Aqui, os dados (qualitativos ou quantitativos) são transformados em inteligência. É nesta fase que os dados são tangibilizados e se tornam palpáveis para embasar as decisões da empresa, gerando soluções para possíveis problemas.

Compartilhamento e disseminação de dados

Por fim, os dados gerados podem ser compartilhados com as áreas envolvidas para, então, tomarem decisões. Apresentações, relatórios ou gráficos são algumas formas de disponibilizar as informações, considerando o perfil do público-alvo.

É importante que os projetos de inteligência competitiva sejam desenhados de maneira simples e descomplicada para não burocratizar as demandas. A complexidade pode gerar custos desnecessários e sobrecarregar as áreas envolvidas no processo como TI, Marketing e Vendas, por exemplo.

Inteligência competitiva, na prática

Na prática, cada empresa tem suas particularidades que devem ser consideradas ao traçar estratégias ou escolher ferramentas de inteligência competitiva.

As soluções analíticas são desenvolvidas para facilitar esses processos, coletar e analisar os dados de maneira efetiva e de acordo com a realidade da organização.

Além disso, a cultura orientada por dados também deve estar inserida no dia a dia da empresa, ainda que de maneira gradual. Se você não dispõe de especialistas em programação ou análises estatísticas, considere contratar profissionais da área ou empresas especializadas no assunto.

Existem no mercado excelentes ferramentas que podem ajudar no processo de inteligência competitiva de marketing. Elas transformam informações em dados úteis. Veja estes exemplos:

Data Visualization

As ferramentas de “dataviz” (data visualization) facilitam o entendimento dos dados, transformando-os em informações visuais, como tabelas e gráficos.

Com ele é possível conectar e agrupar diversas fontes de dados em um único local. Fator que facilita a vida dos analistas, visto que não é necessário baixar os dados para colocá-los em planilhas.

O dataviz também oferece representações gráficas prontas ou personalizadas, além de permitir a criação de templates em dashboards e infográficos, de acordo com a sua necessidade.

Leia também: Marketing por Dashboards: tomada de decisão em tempo real.

Machine Learning

Essa aplicação da inteligência artificial permite que as máquinas aprendam sozinhas, sem a necessidade de treinamento. Esse aprendizado acontece por meio de observações a partir das interações dos usuários no ambiente digital.

A máquina observa os padrões nas interações, adquire os dados para, então, aprender a tomar determinadas decisões.

Existe apenas um input inicial de dados, fornecido pelo usuário, para que esse aprendizado seja concluído. A utilização do Machine Learning ocorre principalmente em empresas que precisam processar uma grande quantidade de dados.

Inteligência competitiva na estratégia de marketing digital

Acabamos de dizer que a evolução na análise de dados dentro da empresa é gradual, concorda?

Em inteligência competitiva de marketing, os fatores internos e externos devem ser considerados para embasar as decisões finais da empresa.

Acompanhe alguns fatores externos que podem ajudar você a entender melhor como a inteligência competitiva funciona:

1. Avaliação estratégica: entendimento das táticas usadas pelos concorrentes.

2. Análise operacional: como é o funcionamento da atividade dos concorrentes, com uma análise na qual é possível prever suas ações.

3. Percepção do mercado: análise da percepção que os clientes têm dos concorrentes.

4. Capacidade tática: percepção dos diferenciais competitivos.

5. Perspectivas de mercado: compreensão das características do mercado em que você e seus concorrentes atuam, e qual a preparação deles em acompanhar as possíveis mudanças econômicas.

Saiba que a inteligência competitiva empresarial trabalha principalmente com as críticas recebidas sobre um determinado produto ou serviço.

A regra é entender — a partir da análise do cenário, desempenho de um produto ou posicionamento dos clientes — como o seu negócio pode resolver o problema ou suprir determinada demanda.

Convencer dirigentes sobre a importância do trabalho com dados não é tarefa simples, apesar de esse ser o caminho natural dos negócios. É quase inevitável e, certamente, será bem-sucedido quem estiver atuando de forma analítica ou “inteligente”.

Não é à toa que em muitas delas estão sendo implantadas áreas específicas de marketing digital e, em alguns casos, departamentos de inteligência competitiva. É com esse conhecimento analítico que elas estão conseguindo consolidar a reputação da marca, aumentar a taxa de conversão e fidelizar os clientes, por exemplo.

Conclusão

Então, como você viu, são muitos os fatores que incentivam a implantação de um sistema de inteligência competitiva nas empresas, independentemente do porte. E IC está intimamente associada aos dados.

Inteligência competitiva engloba estratégias adotadas por quem está de olho no mercado on-line e off-line. Você está?

Acompanhe as mudanças tecnológicas e observe o que seus concorrentes estão fazendo para se tornarem mais competitivos. Esses dados são capazes de mostrar se a sua empresa está no caminho certo da alta competitividade ou se está apenas observando a cor da grama do vizinho.

Para saber mais sobre inteligência competitiva, leia também Inteligência competitiva: como os dados podem ajudar? Continue navegando pelo blog e veja outros temas relacionados ao Marketing Digital e Marketing por Dados.

Um abraço e até a próxima!

Sair da versão mobile