Clusterização: o que é e porque é tão importante para sua empresa?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Clusterização

Você sabe o que é clusterização? Basicamente, é uma tecnologia capaz de fazer computadores mais simples trabalharem em conjunto, como se formassem uma máquina só.

As empresas estão investindo em tecnologia para otimizar seus processos e não é em vão, já que sempre surgem novas possibilidades tecnológicas que nos ajudam a alcançar melhores resultados.

A tecnologia existe para facilitar a vida moderna, e a clusterização comprova a veracidade dessa informação. Afinal, é uma estrutura de computação que pode proporcionar melhor desempenho, confiabilidade e agilidade para a execução de processos de alta complexidade. Difícil não se interessar, não é?

O melhor de tudo é que já existem vários tipos de clusters para atender a diferentes solicitações. Se você busca soluções para otimizar os recursos ligados à computação na sua empresa, é provável que encontre muitas vantagens nessa estrutura.

Neste artigo, vamos abordar importantes aspectos sobre a clusterização e mostrar como você pode implementar no seu negócio. Boa leitura!

O que é clusterização?

Clusterização ou cluster é a união de dois ou mais computadores com o intuito de transformá-los em um só. A ideia é fazê-los trabalhar no processamento de uma tarefa mais complexa de modo unificado e simultâneo, melhorando a eficiência desse processamento na execução de alguma ação.

Essa estrutura começou a ser utilizada em 1960, na empresa norte-americana International Business Machines Corporation (IBM), responsável por várias revoluções tecnológicas experimentadas pelo mundo.

Para o usuário, a impressão é de estar acessando apenas um dispositivo mesmo. Por isso, a ideia é tirar o máximo de proveito dos computadores para que eles atuem conjuntamente.

Significado

Bom, o termo em inglês significa “aglomerar” ou “agrupar” e pode ser aplicado em várias situações. Na computação, esse termo determina uma arquitetura de sistema.

Cada computador nesse aglomerado é chamado de “nó” ou “node” e não há limites de nós em um agrupamento. Isso possibilita o uso de diferentes máquinas sem que o sistema seja prejudicado.

Podemos encontrar denominações, como “supercomputadores” ou “computação em cluster”, que são os servidores mais complexos.

A computação em cluster permite o uso de hardwares simples, evitando a necessidade dos sistemas mais complicados para realizar a mesma tarefa, reduzindo os gastos da sua empresa.

Função

A função principal do cluster é combinar o funcionamento de vários computadores dentro de um mesmo sistema. Mas, a estrutura segue passando por renovações desde a sua criação para aperfeiçoar frequentemente o seu desempenho.

Para que a clusterização funcione bem, é importante que todos os computadores utilizem o mesmo sistema operacional. Isso diminui a complexidade de configuração e manutenção do sistema, garantindo que as tarefas sejam executadas de maneira uniforme.

A comunicação entre os “nós” — que é onde está a delimitação do que constitui o cluster em si — é feita a partir de uma tecnologia de rede local. Por isso, é essencial adotar um padrão que permita a inclusão ou a retirada de nós com o cluster em funcionamento.

Assim, os computadores atuam dentro de um único sistema, trabalhando em conjunto no processamento, análise e interpretação de dados, informações e/ou realização de tarefas simultâneas.

Vantagens

A clusterização permite que você otimize a parte funcional das operações, ganhando mais agilidade e aperfeiçoando o desempenho das tarefas. Isso sem a necessidade de um computador superpotente.

É possível utilizar máquinas simples, de fácil manutenção e que não precisam ser necessariamente iguais. Portanto, você garante uma redução de custos no seu negócio.

Também é possível utilizar a clusterização para tarefas sofisticadas ou até para algo simples, como um sistema doméstico. A sua capacidade pode ser potencializada com a adição de novos nós, o que garante escalabilidade nos seus processos.

Clusterização

Cluster físico x Cluster virtual: entenda a diferença

É importante que você entenda a diferença entre esses dois formatos:

O cluster físico é uma integração totalmente presencial entre dois ou mais computadores. Os servidores trabalham em conjunto, um suprindo o outro de acordo com as configurações definidas.

O cluster virtual segue a mesma ideia de integração, mas é feito por meio de uma rede on-line. É um processo mais dinâmico, pois os “nós” podem ser adicionados e retirados com facilidade. Além de permitir a conexão mesmo se os computadores estiverem distantes fisicamente.

Quais são os principais tipos de cluster?

Há vários tipos de clusters, cada um focado em diferentes benefícios e, consequentemente, mais adequados para determinadas tarefas e processos. Conheça os quatro principais que podem ajudar a crescer o seu negócio:

Cluster de Alto Desempenho (High Performance Computing Cluster);

O objetivo deste cluster é proporcionar alto desempenho para as suas aplicações. É ideal para atividades que precisam de análise de uma grande quantidade de dados, como pesquisas científicas.

Esse tipo de cluster alcança bons resultados em tempo hábil, até para processamentos mais complexos. Por exemplo, tarefas com milhares de gigaflops envolvidos (1 gigaflop corresponde a 1 bilhão de instruções de ponto flutuante executadas por segundo).

Cluster de Alta Disponibilidade (High Availability Computing Cluster);

O objetivo deste cluster é manter a manutenção da rede sempre ativa. É utilizado em serviços que precisam estar sempre no ar, como e-mails.

Independentemente do que aconteça em cada “nó”, o cluster garante que o sistema continue on-line. É como se houvesse um substituto com as mesmas características do principal, quando um sai do ar ou outro entra (com um sistema de redundância invisível para o usuário).

Cluster para Balanceamento de Carga (Load Balancing);

Neste caso, todos os “nós” são responsáveis pelas tarefas em execução. Desde a tarefa mais simples até a mais complexa, é realizada com a força da união dos recursos disponíveis.

A prioridade desse cluster é a performance. Em geral, é utilizado em empresas que usam torres de servidores.

Cluster de Processamento Paralelo;

A grande curiosidade sobre este modelo é que ele é utilizado pela NASA e também pela indústria cinematográfica. O filme Titanic foi renderizado dentro dessa estrutura.

Nesse tipo de cluster, as grandes tarefas são divididas em atividades menos complexas, distribuídas pelo sistema e executadas paralelamente pelos vários “nós”. Por isso, se torna eficiente em tarefas computacionais muito complexas.

O que é cluster em marketing digital?

Cluster, clusterização ou topic cluster são termos já conhecidos no mercado de Marketing Digital e nós já explicamos aqui como funciona a estrutura de um sistema em cluster.

Porém, existem técnicas de clusterização muito importantes para o marketing. Nas páginas do site e/ou blog, os clusters ajudam a dividir informações em temas e agrupam conteúdos em tópicos com uma organização estratégica de SEO.

Além disso, a aplicação do cluster funciona para analisar o comportamento do consumidor e criar estratégias de marketing a partir da segmentação de grupos em comum.

O que é a clusterização de clientes?

Clusterização de clientes é a técnica utilizada para formar grupos com traços em comum, como forma de segmentação.

Isso possibilita que sua empresa mapeie com maior exatidão qual é o real perfil do seu cliente. Assim, você toma decisões mais assertivas nas estratégias de Marketing e Vendas.

Os clusters trazem mais dados do que fazíamos com o público-alvo, podemos pensá-los como grupos ou tribos. Por exemplo, comece pelo macro, como: comportamento. Depois use a segmentação: viajam com frequência. O ideal é fazer testes para ver quais segmentações geram menor custo de aquisição e melhor retorno sobre o investimento para sua empresa.

Essa técnica é bem parecida com a que já utilizamos no marketing tradicional e pode ser confundida com público-alvo e persona.

Se quiser saber mais sobre o assunto, acesse o artigo: Público-alvo, cluster e persona. Você sabe a diferença?

Cluster de dados

As ferramentas de análise de dados são a base da clusterização de clientes. Elas ajudam sua empresa a obter informações sobre o comportamento do seu público. Com todas as informações necessárias, você consegue organizar de forma efetiva uma estratégia de alcance para uma campanha de marketing, por exemplo.

Os dados são organizados por clusters — visando consultas futuras ou para facilitar o acesso por parte da equipe — e permitem identificar padrões e agrupar o público a partir de interesses comuns.

É preciso contar com um especialista em análise e mensuração de dados para aplicação correta dessa técnica.

Como funciona o Topic Cluster?

O Topic Cluster funciona como uma nova estratégia de SEO, em que um conteúdo sobre determinado tópico é desenvolvido como um “pilar” e conteúdos relacionados ao tópico se tornam seus “clusters”, conectados entre si com links internos.

Assista ao vídeo e entenda como os dados direcionam e impulsionam suas estratégias de SEO de forma simples.

O que é?

É uma forma de organização de conteúdo criada pela HubSpot. A ideia surgiu a partir da observação de como as buscas on-line são feitas e em como os buscadores respondem a essas dúvidas.

O objetivo é criar nova estruturação para o seu conteúdo, deixando-a mais organizada para os usuários e para o Google. Então, uma organização lógica é feita, seguindo um planejamento para aprofundar nos conteúdos e apresentar informações relevantes aos leitores do blog.

Você garante um conteúdo completo, usando como referências as produções mais aprofundadas sobre o tema e gerando links internos entre eles. É o planejamento perfeito, não é mesmo?

Como fazer?

O primeiro passo é fazer um planejamento com uma visão geral da estratégia. Você deve começar com uma página de pilar sólida e incluir links para todas as páginas relacionadas aos Topic Cluster.

Utilize três elementos principais:

  • Página Pilar
  • Clusters
  • Links internos

A Página Pilar é a base para todo conteúdo sobre determinado tópico, que gera link para os Topic Clusters e vice-versa. Se possível, todas as páginas devem gerar links internos para a pilar de alguma forma. Esse conteúdo será feito em torno de uma palavra-chave que geralmente refere-se a um assunto mais vasto.

Os clusters, nessa estratégia, são os conteúdos em torno da página pilar, com temas mais específicos. Podemos pensar dessa maneira: se o conteúdo pilar é sobre Marketing por Dados, os clusters podem ser sobre inteligência artificial, Big Data e análise de dados, por exemplo.

Já os links internos fazem parte da estratégia como a entrada para os conteúdos do seu site. Se você trabalha com SEO, certamente já ouviu esse termo por aí. Afinal, é um dos fatores para ter sucesso na sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Na estrutura de Topic Clusters, os links internos são indispensáveis. Mas, eles são planejados antecipadamente, pois o cluster deve sempre ter linkagem interna para o seu pilar.

Conclusão

Essas informações sobre clusterização servem para mostrar como essa estrutura pode otimizar os processos da sua empresa e melhorar seus indicadores, gerando um impacto positivo nos resultados finais.

Invista em conhecimento, tecnologia e pessoal qualificado para inserir a transformação digital e a cultura de dados na sua empresa.

Gostou deste artigo? Continue navegando para saber mais Marketing por Dados e Marketing Digital. Leia também: Marketing por Dados: Combatendo a ilusão dos resultados de mídia online.

Um abraço e até a próxima!

Sobre o autor