Os 5 profissionais mais difíceis de serem encontrados no marketing digital

O mercado de marketing digital decolou de maneira avassaladora nos últimos 10 anos. De início, tivemos um foco grande em redes sociais, com as marcas se posicionando em diversas plataformas, às vezes replicando conteúdos idênticos em todas elas.

Logo em seguida, as empresas foram descobrindo novas possibilidades e surgiu a onda de SEO e mídia online. O foco era trazer mais pessoas ao site para que o volume de conversões aumentasse. A disputa pelos primeiros lugares do Google e o valor do CPC (custo por clique) começou a disparar.

Hoje em dia temos uma gama de profissionais que são extremamente difíceis de serem achados, pois existem poucos por aí. Isso significa salários mais altos e dificuldade de mantê-los por causa do assédio constante de outras empresas com convites para entrevistas.

Esses cargos mostram a nova cara do mercado: são pessoas com alto conhecimento técnico e, ao mesmo tempo, conseguem ser estratégicos, participando de reuniões e decisões junto a diretoria. E agora entram as curiosidades: muitas vezes esses profissionais não têm ensino superior e acham uma pós-graduação algo com alto investimento e baixo retorno, além de ser muito demorado. E a grande maioria deles mal chegou aos 30 anos. Eles preferem pagar 15 cursos imersivos de um, dois ou 7 dias, ao custo de mil reais cada, do que passar 18 meses aprendendo o básico de várias matérias numa pós-graduação de quinze mil reais.

São pessoas com sede de conhecimento, que estão sempre antenadas em como melhorar os resultados, mas que rapidamente testam novas possibilidades. Em outras palavras, elas absorvem muita informação e não perdem tempo na hora de colocá-las em prática.

Além disso, elas mudaram totalmente um comportamento antigo: compartilhamento de aprendizados, experiências e resultados. Isso era inimaginável tempos atrás. Não é difícil achar em grupos do Facebook e em fóruns especializados pessoas colocando prints de seus testes e resultados, explicando passo a passo o que elas fizeram. Fora o volume de perguntas e respostas que eles fazem questão de discutir e resolver.

Vamos conhecer um pouco destes profissionais:

Cientista de dados

Este é um profissional híbrido. Sua origem vem da tecnologia da informação, ou seja, eles trabalham com programação. Eles são valiosos pois no mar de dados disponíveis hoje, eles são capazes de extrair o que realmente importa dos bancos de dados, eliminando as “sujeiras”. Ao mesmo tempo, estão familiarizados com testes estatísticos, buscam padrões e tendências nos dados para trazer informação de qualidade a vários setores da empresa, inclusive o marketing.

Além disso, são capazes de otimizar e automatizar vários processos. Eles criam algoritmos e bots para simplificar a execução de tarefas e tem grande afinidade com linguagens como Python, R e SAS. Eles são as primeiras pessoas que irão te ajudar no processo de busca de respostas como “Que tipo de cliente é mais valioso para minha empresa?”. Este profissional está entre os mais difíceis de ser encontrado e a demanda por eles ainda irá aumentar muito nos próximos anos.

Growth Hacker

Basicamente o growth hacker é alguém que tenta encontrar incessantemente brechas para melhorias através das experimentações. Seu papel é fazer com que as empresas cresçam rapidamente, investindo muito menos que tradicionalmente se investiria. Muito encontrado em startups, seu foco é adquirir clientes pelo menor custo possível, mas de maneira sustentável, ou seja, clientes que ficarão com a empresa por longos períodos. Afinal, ter muitos clientes que não ficam com você é perda de dinheiro, já que você investiu para adquiri-los e demora certo tempo para atingir lucro com eles.

O growth hacker otimiza e testa diversas frentes do marketing digital como textos do site, e-mail marketing, SEO, mídia online, viralização de conteúdos, landing pages etc. Obviamente, tudo isso é utilizado junto com web analytics. Todo teste serve para validar um ponto questionado e eles são executados em todas as frentes.

Esta pessoa tem uma vasta habilidade em muitas áreas e isso o torna caro e raro de ser encontrado no mercado.

Profissional de mídia online

As pessoas que especializadas em mídia online, assim como o growth hacker, trabalham para trazer bons clientes com o menor custo possível, mas também no menor tempo. A diferença é que eles podem trabalhar bem com orçamentos apertados e gigantes. Isso, inclusive, faz com que muitas pessoas desistam de trabalhar na área, pois elas tem medo de gerir grandes somas de dinheiro e não trazer resultados.

O ecossistema de mídia online só tem aumentado, saindo do tradicional Google e Facebook para plataformas de mídia programática, comparadores de preço, anúncios nativos em várias plataformas, retargeting via e-mail marketing e por aí vai. Estamos falando de trabalhar em muitas plataformas ao mesmo tempo, com acompanhamento em tempo real de resultados. Assim como tudo que envolve investimento, a pressão em cima o retorno sobre ele chega a ser estressante. 

Profissional de métricas

Junto com o cientista de dados, o profissional de métricas analisa diversos cenários e KPIs para encontrar respostas para as mais diversas questões de marketing. Seu papel é de suma importância, pois ele acompanha os resultados de todos os esforços de marketing como mídia online, SEO, call tracking, e-mail marketing, redes sociais etc. Cabe a ele orientar a empresa sobre o que está acontecendo e quais os caminhos seguir para batermos metas e atingirmos objetivos.

O volume de dados encontrados até mesmo em pequenas empresas pode ser uma avalanche de informações. O profissional de métricas é importante em todos os tipos e tamanhos de negócios exatamente por conseguir direcionar o crescimento da empresa através da tomada de decisões acertadas. Também é um profissional técnico e estratégico, transitando em diversos setores e conversando com a diretoria.

Otimizador de conversões

Essa é mais uma área que exige alto nível de conhecimento técnico e prático. O otimizador de conversões pode trabalhar com apps, e-mail marketing, sites e e-commerces. Seu trabalho obviamente é aumentar a taxa de conversão, ou seja, fazer com que mais usuários enviem leads ou façam mais compras.

Para isso, o otimizador de conversões vive fazendo testes a/b ou multivariáveis nas plataformas citadas acima. Conhecimentos em redação, copywriting, web analytics, experiência do usuário e vendas são imprescindíveis. Some a isso o fato de ter que conhecer a fundo os clientes, os clientes dos clientes, os ex-clientes e toda a equipe interna envolvida para colher dados, afinal, deve-se ouvir todas as pessoas para entender o que pode ser melhorado e o que os clientes realmente tem a oferecer ao mercado. Para eles, não há espaço para opiniões e achismos, tudo é colocado em testes para validação.

E o mercado daqui em diante?

Por longos anos acreditamos que todos esses profissionais ainda continuarão em falta. Isso é uma boa oportunidade para quem quer realmente crescer. No Brasil existem poucos cursos realmente bons de todas as áreas citadas. Para ser um profissional como estes, o que mais contará é a vontade de aprender por conta própria, seja no YouTube, SlideShare, e-books ou fóruns. Contratando um desses profissionais, a própria empresa começará a ser questionada por eles, já que são pessoas comprometidas com resultados e que trabalham rapidamente com muita informação e sede de resultados.

Além disso, muitas empresas ainda não tem a maturidade necessária para ter estes profissionais em suas equipes. Afinal, ainda encontramos grandes empresas que mal medem o que fazem atualmente e vivem executando ordens que vem de cima, sem nada concreto por trás disso.

Quer saber um pouco mais sobre o trabalho desses profissionais? Temos um artigo muito bacana sobre o Growth Hacker. Para acessá-lo, clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *