Como manter um bom posicionamento e conversão nas estratégias de search?

Podemos dizer que estamos vivendo momentos instáveis na economia do nosso país, certo? Estamos tendo aumento constante de preços e redução no consumo, logo nos preocupamos com as vendas e como a crise pode afetá-las.

Se você compartilha dessa mesma preocupação com o seu negócio ou mesmo com suas estratégias pessoais, neste texto você vai encontrar como suas táticas podem ser otimizadas para encontrar soluções simples e continuar bem nas pesquisas e principalmente em suas conversões.

Será que realmente a crise te pegou?

Antes de se angustiar, que tal analisar a seguinte situação: se você está com uma impressão que os resultados pioraram no último mês e o mês atual não está legal também, uma forma de analisar é realizando o comparativo com o mesmo período do ano passado ou anos anteriores. Por exemplo, compare o primeiro semestre de 2015 com o mesmo período de 2014. Você pode identificar que na realidade não está tão ruim assim e que o que aconteceu é que o crescimento que estava tendo anualmente ou mensalmente diminuiu, mas não que necessariamente a coisa está ruim.

Uma das ferramentas que você pode utilizar pra realizar esse comparativo é o Google Analytics. No gráfico de conversões você consegue ter uma visão de quanto foi seu crescimento em relação ao ano passado. Outra forma é pegar o seu histórico de vendas em seu controle ou sistema e comparar os períodos.

Podemos chegar a várias conclusões, mas você sabe quais são as que podem responder se você está ou não em crise?

Resultados comparativos

No gráfico abaixo, as conclusões de meta do primeiro semestre de 2015 (linha azul) e 2014 (linha laranja). Podemos observar que em junho/2015, os resultados caíram, mas se analisamos todo o período, houve crescimento de 147% dos contatos no site.

Gráfico Google AnalyticsResultados Google Analytics

Concluímos que maio e junho não foram meses tão bons, mas ainda tiveram melhores resultados que o mesmo período do ano anterior. Agora precisamos entender o que pode ter acontecido em junho com essa queda. Nesse exemplo, o segmento do cliente tem uma queda normal no volume de pesquisas nessa época do inverno, onde a gente fala da sazonalidade.

Já observou a sazonalidade?

A sazonalidade são situações que se repetem em determinadas épocas do ano, quando há períodos em que podemos registrar mais ou menos vendas.

Seu produto ou serviço tem período sazonal de vendas? Para identificar pegue informações como:

  • Identifique, por exemplo, se algum mês do ano você tem queda nas visitas e vendas.
  • Veja o desempenho do mês em anos anteriores.
  • Analise os fatores que provocam essa queda: Clima? Férias?

No inverno, as pessoas pesquisam menos por “praia”. Em julho e dezembro, as pessoas estão começando as férias, ou seja, caderno e material escolar são menos pesquisados nessa época.

São apenas alguns exemplos para mostrar que, seu produto pode ter períodos de queda e você pode ficar menos preocupado nessa época. Ou melhor, trabalhe para melhorar seu posicionamento e quando voltar o bom volume de pesquisas, obter melhores resultados.

Lembrando daquele produto “esquecido”

Você tem um produto ou serviço que é menos procurado? Qual o tráfego que ele tem em seu site? Como ele está posicionado? Por não ser o principal produto, muitas empresas acabam deixando de lado e não otimizam as páginas e categorias dos mesmos.

Nesse momento, você pode listar e identificar o que pode otimizar. Analise o posicionamento e concorrentes, otimize os títulos e performance das páginas. Com uma simples otimização On Page é possível melhorar o posicionamento da página desse produto que pode contribuir e muito para o faturamento como um todo da empresa.

Os erros mais comuns

É natural cometer alguns algumas falhas bobas que, quando corrigidas, temos resultados interessantes. Comece checando seu site com atenção aos erros mais comuns que encontramos por aí. Muitas páginas podem estar otimizadas, mas alguns erros podem ser detalhes importantes para melhorar o posicionamento de todo o site.

Conteúdo duplicado

Muito comum no WordPress, quando algumas páginas são geradas com o mesmo conteúdo de outras. Há algumas formas de fazer essa verificação:

Sitemap

Uma forma para identificar o conteúdo duplicado é pelo arquivo sitemap do site. Geralmente é o arquivo gerado em seu-dominio.com.br/sitemap.xml ou seu-dominio.com.br/sitemap_index.xml. Esse arquivo é literalmente um mapa do site, com todas as URLs.

Visualizando esse mapa, procure identificar links desconhecidos ou bem semelhantes a outros, como no exemplo abaixo:
www.sorveteria.com.br/sabores/sorvete-de-flocos
www.sorveteria.com.br/destaque-home/sorvete-de-flocos

Observe que são duas páginas do “sorvete de flocos”, mas a segunda foi uma página criada pelo destaque no site. Nesse caso, não tem utilidade uma página criada e indexada pelo Google, apenas o primeiro link. Identificando essa duplicidade, você só precisa redirecionar para a página correta.

No arquivo .htaccess* do site, adicione a seguinte linha:
redirect 301 /destaque-home/sorvete-de-flocos www.sorveteria.com.br/sabores/sorvete-de-flocos

Explicando: O site vai fazer o redirecionamento 301 (permanente) da página /destaque-home/sorvete-de-flocos/ para a página correta do produto, www.sorveteria.com.br/sabores/sorvete-de-flocos

* Arquivo de configuração do servidor apache onde é possível configurar várias funções de acesso ao site e diretórios.

Acesso com e sem “www”

Já verificou se as páginas acessam com e sem “www”? Também considerado conteúdo duplicado, o ideal é usar o redirecionamento 301 para uma versão única daquela URL.

Para validar, utilize o Redirect Checker. Faça os testes com as duas URLs. Na imagem abaixo, o resultado comprova que a versão sem “www” está sendo redirecionada para a versão com “www”. No segundo teste, ele vai retornar apenas o código 200, que está tudo ok.

Redirecionamento 301

O WordPress, por padrão, já aplica esse redirecionamento. Em outras plataformas, pode ser necessário configurar esse redirecionamento automático. É possível configurar no .htaccess do seu site, utilizando um dos trecos de código abaixo.

# Redirecionamento sem-www para www
RewriteEngine on
RewriteCond %{HTTP_HOST} !^www\.seusite\.com\.br
RewriteRule (.*) http://www.seusite.com.br/$1 [R=301,L]

# Redirecionamento www para sem-www
RewriteEngine on
RewriteCond %{HTTP_HOST} ^www\.seusite\.com\.br [NC]
RewriteRule (.*) http://seusite.com.br/$1 [R=301,L]

Pode ser necessária outra configuração, dependendo da plataforma utilizada.

Perfil da pesquisa

Uma coisa muito comum são as mudanças no perfil de pesquisa, onde um termo se torna mais pesquisado que outro. Isso pode acontecer no seu segmento e você pode aproveitar.

No exemplo abaixo, fiz um simples comparativo no Google Trends entre “Cristiano Ronaldo” (linha azul) e “Neymar” (linha vermelha). Observamos que o português tem maior volume de pesquisa, mas nos últimos meses, o brasileiro é mais pesquisado.

Gráfico Google Trends

E o que o Neymar significa no meu site? Bom, se o seu segmento não é futebol, praticamente nada. Apenas uma percepção que as pessoas podem pesquisar uma coisa hoje, mas amanhã pesquisam por outra. Isso está atrelado ao comportamento de busca do usuário, que é muito comum nessa mudança, até mesmo na forma que é pesquisado seu produto ou serviço. Fique atento a isso para não insistir em posicionar um termo que uma outra variação com maior volume de pesquisa.

Biscoito ou Bolacha?

Há outra variação por regiões, onde um termo pode ser mais pesquisado do que outro. É preciso saber qual o perfil do seu público. Aqui na Buscar ID, por exemplo, nós atendemos clientes de outros estados, e por isso ficamos atentos a esse detalhe.

Um exemplo simples: se você vende biscoito em Minas Gerais, o correto é vender “biscoito” mesmo, certo? Mas, em São Paulo, você vai vender biscoito e bolacha, que no final é o mesmo produto, mas personalizado por linguagem da região. Se seu conteúdo continuar sendo “biscoito” em São Paulo, vai perder 50% ou mais do público nessa região.

DICA!

Use o Planejador de palavras-chave, o Google Trends e ferramentas que vão te auxiliar a identificar o perfil de pesquisa do seu cliente.

Conclusão

A lição do post é que sempre há uma coisa esquecida para otimizar ou algo errado para corrigir. Revisar suas ações e estratégias nunca é perda de tempo. Mantenha-se bem nos seus principais serviços, mas não se esqueça dos outros.

E então, essas dicas foram úteis para você? Deixe um comentário sobre o que você já tem feito atualmente para enfrentar a crise e manter seu bom posicionamento e conversão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *