O que é dashboard?

Um desafio comum em empresas que trabalham com números abertos é permitir que os diversos setores consigam monitorar a evolução dos resultados de acordo com as metas definidas e objetivos traçados.

Uma boa solução para curar essas dores é a criação de dashboards que permitam o acompanhamento dos resultados por períodos do dia, semana ou até mesmo em tempo real.

Vamos explicar um pouco melhor o que são dashboards, suas possibilidades e vantagens em criar os painéis para auxiliá-lo em seu dia a dia. Vamos lá!

O que é um dashboard?

Dashboards são painéis que mostram métricas e indicadores importantes para alcançar objetivos e metas traçadas de forma visual, facilitando a compreensão das informações geradas.

Existem diversos tipos de geração de informação, mas o formato visual ganha muitos pontos quando se trata de entender como estão indo resultados, possibilitando que qualquer pessoa consiga consumir a informação, desde estagiários até c-levels.

O objetivo dos dashboards, é possibilitar o monitoramento dos resultados de uma empresa distribuídos em diversos indicadores. Para chegar a esse patamar é preciso responder perguntas essenciais para ter as respostas desejadas. Se você não souber o que perguntar, não será possível construir um dashboard.

Para determinar as perguntas certas, é preciso compreender as necessidades da empresa de forma clara. A definição de métricas de KPIs para acompanhamento é crucial para você criar as perguntas necessárias.

Não serão criadas perguntas perfeitas em um primeiro momento porque o cenário do “campo de batalha” para alcançar o objetivo pode mudar a cada instante, sendo isso determinante para os próximos passos.

Definindo as métricas necessárias de acompanhamento, fica mais fácil seguir para o próximo passo na criação de um dashboard. A visualização dos dados e informações apresentadas pode ser considerada um grande trunfo do painel.

Em alguns casos a infografia é utilizada para decifrar números e dados de forma simples que antes eram complicadas, mas em sua grande maioria os gráficos são usados para representar a informação. Por serem universais, muitas pessoas já compreendem sua leitura.

O ponto principal em um painel de controle deve estar na sua capacidade de transmitir a informação de forma rápida e eficiência.

Cada vez mais, trabalhamos com técnicas e conceitos de experiência do usuário (UX) para criar um dashboard que permita uma visualização simples para os diversos tipos de públicos que irão consumir as informações.

Dessa forma, o que interfere muito na criação de um painel, é saber qual seu tipo para detalharmos ao máximo cada ponto para quem vai consumir de fato aquelas informações diretamente ou indiretamente.

Tipos de dashboards

São basicamente 3 tipos de dashboards para suprir as necessidades de monitoramento dos resultados: os operacionais, que contribuem para monitorar níveis de operação de analistas; os tático, que permitem ter uma visão de como andam as operações de acordo com as estratégias criadas; e os estratégicos, que normalmente são monitoradas KPIs e criados scorecards de acordo com metas estabelecidas.

Cada tipo de dashboard atende determinado escalão de uma empresa com suas responsabilidades e o que deve ser monitorado. Vamos detalhar um pouco mais cada um!

Dashboard operacional

Os dashboards operacionais normalmente mostram as métricas que devem ser acompanhadas por analistas para realizarem otimizações em seus trabalhos e assim permitir maior agilidade em correções de rotas.

Como exemplo, podemos pegar métricas de Google Adwords. Com um dashboard operacional, é possível acompanhar as palavras que têm melhor performance, grupos de anúncios que geram os melhores resultados. Em casos de e-commerce esse tipo de dashboard possibilita um cruzamento de dados que informe o estoque e preço de um determinado produto com seu anúncio, para o próprio analista ter poder de decisão para obter a melhor performance.

Sem esse cruzamento entre estoque, preço e anúncio, para tomar decisões, o analista precisaria realizar diversas outras operações gerando uma maior dedicação de tempo e muitas vezes não sendo tão eficiente quanto seria ao ter um dashboard operacional.

Exemplo de dashboard operacional:

dashboard-operacional

Dashboard tático

Seguindo o exemplo de compra de mídia, um dashboard tático acompanharia os principais números das diversas mídias em que se faz investimentos como Adwords, Facebook Ads, Bing ads e mídias programáticas.

Seria possível ter um painel mostrando a performance de cada uma e, dependendo da resposta que você quer ter, poderá saber em tempo real qual mídia está gerando melhor retorno de acordo com o ticket médio.

Nesse caso, pode-se encontrar respostas que muitas empresas não acompanham, como qual a melhor mídia tem melhor resultado (conversão) X taxa de conversão X ticket médio X investimento.

A informação que você poderia obter com esse cruzamento é muito relevante.

Podemos imaginar um cenário em que o investimento aumentou consideravelmente, a taxa de conversão caiu em uma determinada mídia em um período, e as vendas não aumentaram tanto assim.

Com essas duas informações, a seleção natural seria pausar essas mídias. Mas com cruzando os dados com o ticket médio gerado conseguimos encontrar que ele aumentou e muito, chegando a dobrar a média.

Agora sim, com essa informação você tomaria uma decisão mais acertada: não pausar as mídias e mantê-las, pois, apesar de o custo aumentar e taxa de conversão diminuir, o ticket médio aumentou, contribuindo com a diminuição do CAC.

Viu como é interessante ter um dashboard tático? Veja um exemplo de dashboard tático:

dashboard-tatico

Dashboard estratégico

O dashboard estratégico, como próprio nome diz, deve trazer informações mais estratégicas. Indicadores de performance e informações comparativas com períodos anteriores são acompanhados para entender como estão os resultados atuais com os passados.

Normalmente os estratégicos geram informações macro que podem ser acompanhados e/ou monitorados por todos da empresa. Números de vendas, financeiros e o desempenho geral em relação à meta podem ser acrescentados em dashboards estratégicos.

Veja um exemplo de dashboard estratégico:

dashboard-estrategico

O que não fazer em um dashboard?

Para criar um dashboard, precisamos ter diversos cuidados, caso contrário o painel poderá se transformar em um frankenstein e não ser útil.

Veja algumas dicas do que não fazer ao criar um dashboard:

  • NUNCA deixe de definir o objetivo de um dashboard;
  • NUNCA deixe de definir o público do dashboard;
  • Não adicione muitas cores;
  • Não faça uso de imagens desnecessárias;
  • Não apresente dados/informações desnecessárias ou pouco relevantes de acordo com o objetivo do dashboard;
  • Não trabalhe com barra de rolagem nos dashboards, o ideal é ter todas as informações em uma única tela.

Se você seguir essas dicas, sem dúvida poderá ter mais sucesso na visualização das informações de um dashboard.

4 Dicas de ouro que devem ser seguidas à risca

Vou apontar agora 4 regras que seguimos na Buscar ID ao desenvolver um dashboard no ID control.

QUAL INFORMAÇÃO QUERO EVIDENCIAR?

Quando tudo é prioridade, nada é prioridade. Não e mesmo? Por isso, desde o início já precisamos pensar em qual informação é mais importante e precisa ser evidenciada.

Se visualizo muitas informações, fico passível até de tomar decisões erradas. Mesmo que você separe as informações em outros painéis.

QUAL A MELHOR FORMA PARA RECEBER A INFORMAÇÃO?

Em algumas visualizações o texto é melhor aplicável que um determinado gráfico. Por termos essas particularidades com as informações, é necessário entender qual é a melhor forma de visualizar determinada informação tendo como princípio a tomada de decisão rápida.

QUANTO TEMPO EU DEMORO PARA EXPLICAR A INFORMAÇÃO?

Existe uma premissa na visualização do dado. De acordo com esse pensamento, se você precisa ficar mais de 15 segundos explicando como ler uma informação possivelmente existe uma maneira mais eficiente de obtê-la.

Claro que isso depende muito de pessoa a pessoa, mas se todas as vezes que tiver que explicar como ler uma informação levar mais de 30 segundos, reflita e analise melhores formas de mostra-la.

QUE DECISÃO EU POSSO TOMAR COM ESTA INFORMAÇÃO?

Se não é possível tomar uma decisão com a informação gerada em um dashboard ela está apenas ocupando espaço no painel. É preciso ficar atento à essa premissa. Um outro ponto bacana é relacionado ao quanto a decisão impacta em meus resultados.

Defina suas prioridades (Regra 1) em evidenciar a informação de acordo com o quanto ela impacta nos resultados em uma decisão.

Siga essas 4 regras que você irá compor seu dashboard muito bem e deixa-lo bem simples e objetivo.

Crie seus dashboards

Você viu o quanto é interessante ter dashboards? Economia de tempo, agilidade em tomadas de decisão e assertividade são os benefícios principais quando se trabalha com painéis de controle.

Existem diversas forma de criar dashboards para sua empresa, inclusive o Excel tem recurso de gráficos que permite você criar os painéis para entender melhor a informação.

A grande dificuldade no Excel é de acompanhar os resultados com agilidade, ou seja, ter as informações atualizadas. O usual é inserir os dados manualmente a cada atualização gerando um grande esforço a todo momento.

Uma excelente opção é utilizar automação em dashboards como o ID control da Buscar ID – idcontrol.buscarid.com – para usufruir de todos os benefícios citados nesse artigo.

Comece hoje mesmo a criar dashboards para sua empresa e gerar economia e decisões melhores. Não perca mais tempo e seja um dos primeiros a gerar informação em tempo real!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *