Inteligência competitiva: como os dados podem ajudar?

A busca por diferenciais de mercado faz com que cada vez mais empresas invistam em inovação. É nesse contexto que surge a inteligência competitiva, uma nova forma de gestão que têm ganhado destaque entre companhias de diferentes segmentos e portes.

Ainda não conhece bem esse conceito? Aproveite agora para tirar suas dúvidas e conferir os benefícios da inteligência competitiva!

O que é inteligência competitiva?

Inicialmente, é fundamental conhecer melhor o conceito para aplicá-lo com consistência. A inteligência competitiva consiste em uma administração estratégica capaz de antecipar-se às exigências do mercado e de enfrentar mudanças de maneira planejada.

Para tanto, a solução depende da capacidade da companhia de usar e integrar dados de mercado, transformando-os em conhecimento que auxilie as tomadas de decisão. Para ter inteligência competitiva, é preciso obter dados internos e externos que possibilitem conhecer o cenário atual e identificar tendências, antecipando demandas do público, legislação, mercado etc.

Para alcançar os resultados desejados, a implementação da solução pressupõe uma sistematização de processos. Nela, dados podem ser convertidos em informação e, posteriormente, em conhecimento estratégico que embase uma tomada de decisão mais assertiva e lucrativa.

Quais os benefícios gerados?

A inteligência competitiva envolve uma série de benefícios, que, juntos, geram ganhos financeiros e operacionais ao negócio. Entre as vantagens, destacam-se:

Competitividade

Como o próprio nome diz, um dos principais benefícios está relacionado com a competitividade gerada. Ao analisar a concorrência, a empresa identifica pontos de oportunidade que podem ser explorados. Além disso, é possível monitorar como os demais negócios têm aderido às novas tecnologias e desenvolver estratégias de reação a tais processos.

Produtividade

Com uma análise de mercado mais precisa, a inteligência competitiva estimula processos e soluções mais relevantes tanto para as equipes quanto para os clientes, aumentando a produtividade dos departamentos. Conhecendo melhor as oportunidades e ameaças externas, é possível desenvolver, de forma otimizada, soluções mais atraentes.

Inovação

Um dos objetivos da inteligência competitiva é proporcionar insights que possam ser convertidos em decisões de negócio mais certeiras. Isso permite que a empresa invista mais em inovações que impactem positivamente o público, a partir de pesquisas que indicam o comportamento de consumo e as expectativas dos consumidores.

Comunicação interna

A inteligência competitiva é uma forma de gestão que impacta todos os departamentos da empresa. Com um conhecimento sobre as necessidades dos clientes e as táticas da concorrência, as equipes conseguem dinamizar a troca de informações entre as áreas.

Assim, torna-se possível agregar valor à experiência do consumidor, pois as fraquezas e as forças são incluídas no processo de comunicação. A troca de dados entre setores permite que haja mais eficiência nos processos e um melhor relacionamento entre departamentos.

Como ter inteligência competitiva por meio da análise de dados?

Para alcançar essa série de benefícios, um item é crucial: a análise de dados. Para Edson Ito, professor da FGV e diretor da Strategic and Competitive Intelligence Professionals (SCIP), a análise de dados é a etapa mais importante da inteligência competitiva, uma vez que é nela que são gerados conhecimento e inteligência.

De acordo com o professor, a vantagem competitiva só é possível com a definição adequada dos processos de análise de dados, uma vez que mais de 80 técnicas podem ser empregadas. Mas elas devem ser avaliadas de acordo com a necessidade da empresa.

O primeiro passo para ter inteligência competitiva é identificar qual a necessidade do tomador de decisão, ou seja, estabelecer um problema a ser investigado e solucionado. Posteriormente, vem a etapa de coleta de dados, tanto em fontes primárias como em secundárias.

A definição adequada dos procedimentos usados para obter os dados e o conhecimento estratégico mais relevante para o gestor é o que permitirá que a empresa compreenda as flutuações do mercado e tome as melhores decisões para diferenciá-la. Portanto, o material coletado é essencial para que a estratégia de inteligência seja bem-sucedida.

A importância dos dados de qualidade

Quando destacamos a importância dos dados de qualidade, queremos dizer que nem todas as informações são relevantes para entender determinada questão. Se o problema do gestor se refere aos processos internos que precisam ser otimizados, por exemplo, buscar dados sobre o comportamento do consumidor não agregará qualidade à análise planejada.

Dessa forma, a qualidade dos dados está diretamente relacionada ao fato de serem coletados já de acordo com algum objetivo específico. Existem diversas maneiras de se fazer isso, como, por exemplo:

Pesquisa de mercado

Para ter vantagem competitiva, é necessário conhecer a concorrência. Uma análise de benchmarking vai nessa direção, mas, se utilizada sozinha, não será suficiente para coletar materiais válidos.

O ideal é unir diversas buscas de mercado, como institutos, organizações, dados oficiais e relatórios da concorrência. Assim, haverá mais dados agregados, o que resulta em informações mais completas e em um conhecimento estratégico mais realista.

Também é necessário que a procura por dados seja constante e sistemática, com o objetivo de manter a inteligência sempre atualizada sobre as novidades do setor.

Pesquisa entre os consumidores

Outra forma de ter vantagem competitiva é conhecendo mais os consumidores do que a concorrência e, para tanto, o mais indicado é perguntar diretamente para eles. Entre as opções estão as pesquisas de mercado online, com questionários rápidos, mas focados em esclarecer um problema específico.

Os questionários podem ser respondidos após uma compra, quando o cliente abandona o carrinho ou quando cancela o serviço. Essa ação permite que a empresa conheça com profundidade as demandas do público.

Marketing por dados

marketing por dados corresponde à coleta de diversas informações para que se conheça melhor o comportamento do consumidor. Algumas fontes possíveis são:

  • Google Analytics;
  • números das redes sociais;
  • relatórios de e-mail marketing;
  • desempenho das mídias pagas;
  • ferramentas específicas de monitoramento de marketing digital.

Há também a possibilidade de aproveitar outras fontes de dados utilizadas no marketing da companhia, como uma ferramenta de CRM, a automação de marketing digital ou o inbound marketing, por exemplo.

Big Data Analytics

Big Data Analytics também implica na coleta de materiais de diversas fontes, mas é mais diversificado e amplo. Os dados podem ser estruturados ou não estruturados e, normalmente, são fornecidos em quantidades maiores.

Para realizar uma coleta nessa escala, é necessário o uso de ferramentas específicas, além de profissionais especializados. Entre os dados que podem ser coletados e analisados, estão aqueles referentes ao histórico da empresa, ao comportamento do consumidor, aos índices macroeconômicos e outros.

O sucesso da estratégia de inteligência competitiva está intimamente relacionado com a capacidade da empresa de coletar informações de qualidade, usando fontes confiáveis e softwares adequados.

Não se deve menosprezar, entretanto, a etapa da análise de dados, que deve ter como foco solucionar um problema específico, gerando insights e conhecimento estratégico para a tomada de decisão.

Quer investir mais em seus conhecimentos sobre a inteligência competitiva e o uso de dados no mercado? Confira o nosso conteúdo a respeito do debate sobre dados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *