Veja 4 formas de usar o Big Data no varejo

Quando o assunto é Big Data, é possível tirar vários insights especialmente importante para os varejistas. Talvez mais do que em qualquer outro mercado, é no varejo que as datas apertadas e margens de entrega estreitas fazem dos dados uma ferramenta essencial.

Ainda não sabe como usar o Big Data no varejo? Então veja as dicas que listamos para ajudar você a destacar o seu negócio:

Por que usar o Big Data no Varejo?

Prever tendências de consumo

Em termos gerais, Big Data são grandes conjuntos de informação que podem ser analisados por um computador para descobrir padrões, tendências e associações úteis.

É importante ter esse conceito na ponta da língua, pois todos os benefícios do Big Data no varejo podem ser relacionados a essa explicação — e esse é o caso do uso do Big Data para a previsão de tendências de consumo.

Ser capaz de prever tendências de consumo é o objetivo de todo varejista. Com o Big Data, isso se torna realidade: afinal, poder identificar a última moda e tomar decisões bem informadas sobre a ordenação de produtos e as estratégias de estocagem é muito mais fácil com auxílio deste recurso tecnológico.

Os seus algoritmos fornecem aos varejistas meios possíveis para avaliar as tendências do mercado usando múltiplas fontes de dados. Esses dados evoluem de acordo com o comportamento dos consumidores.

Otimizar os preços

Junto com a previsão da demanda, vem a otimização de preços. Até mesmo ferramentas simples, como o Google Analytics, podem ajudar revendedores a obter o máximo de bens e rastrear transações, concorrentes, custos e outras variáveis.

Lojistas de grande porte, por sua vez, gastam amontoados de dinheiro para rastrear as milhares de transações que realizam diariamente a fim de identificar padrões que podem indicar o caminho para mais lucros.

Com a análise estatística, você não precisará nunca mais fazer saldões de fim de temporada para se livrar do estoque: basta mapear o aumento e a queda da demanda e combinar o preço de acordo.

Antecipar demandas com precisão

Se prever tendências é importante, antecipar a demanda é fundamental. Mapear a procura por um determinado bem a fim de atender uma tendência ajudará a sua empresa a prestar serviços melhores e desenvolver estratégias de estocagem precisas.

Chega de armazéns lotados de itens que você não faz ideia se conseguirá vender e basta de perder negócios pela falta de produtos em estoque!

Atrair novos clientes

Apesar de todas essas vantagens, o uso do Big Data no varejo não se resume a melhoria das operações. Na verdade, uma de suas maiores aplicações é ajudar os varejistas na análise do cliente e dos prospects.

Utilizando métricas para criar perfis abrangentes sobre seus consumidores, as empresas podem atrair um público muito maior e fidelizar melhor quem já é seu cliente. Quanto mais elas conhecem a respeito de seus consumidores, mais podem se especializar em conquistá-los, dia após dia.

Com os dados obtidos com auxílio do Big Data, é possível melhorar o funil de vendas, diminuir as taxas de churn, realizar mudanças pontuais em seus produtos e serviços e passar a oferecer um atendimento muito mais satisfatório.

O Big data no varejo não é uma moda passageira, mas sim de um novo jeito de fazer negócios. Gostou de conhecer as vantagens que ele traz para o mercado? Então não deixe de compartilhar esse post com seus amigos nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *